Desatino! nº5 – Boletim das XXV Jornadas

Cabeçalho boletim #5

Olá pessoal,

Está chegando a hora!

Estamos na contagem regressiva para o início das XXV Jornadas Clínicas sobre Loucuras e Amores na Psicanálise.

O Boletim Desatino! #5 apresenta as novas colaborações de nossa comunidade recebidas ao longo do mês de outubro e outras ainda bem recentes. Contribuições que, com a diversidade presente nas reflexões, muito enriqueceram o preparo do evento que se anuncia.

Na categoria Orientação ponto a ponto, a novidade é o texto de Isabel Lins, “Letras, Amores e Dissabores”. A categoria Pólis-amores e loucuras recebeu quatro novos textos: “Corpos na pólis”, por Renata Estrella, “Da segregação à invenção: a importância da precariedade”, de Paula Legey , “Os oásis nossos de cada dia”, por Maricia Ciscato e “Particularizar o cuidado: uma direção de trabalho possível na pediatria oncológica superespecializada”, de Ana Beatriz Rocha Bernat. Finalizando as contribuições, na categoria Todo mundo lê, contamos com a resenha do texto “Paixões em “Bloque”, por Angela Batista. Desejamos a todos uma ótima leitura!

A preparatória para as Jornadas aconteceu no dia 03 de novembro, no auditório do IPUB-UFRJ, com a exibição do filme “Corpo Elétrico”. Tivemos, na sequência, um debate com a presença do diretor do filme, Marcelo Caetano, além de Marcus André Vieira e Paulo Vidal, convidados para essa conversa que “deslizou como a cena de um poema”.  Assim Andrea Vilanova descreveu esse belo encontro, com precisão e delicadeza, no texto  “Um brinde ao impossível”, que muito enriqueceu a categoria Todo mundo vê, em nosso blog. Nesta mesma categoria, também contamos com a generosa contribuição de Paulo Vidal, apresentada na preparatória. Seu texto, “Provocado pelo Corpo Elétrico”, enfatiza a bricolagem de que somos feitos e com a qual cada um de nós terá que se reinventar, tão bem apresentada no filme.

Além de todas essas produções animadoras pré-Jornadas, temos também já disponíveis na Seção Rio, para todos os inscritos, os textos que servirão de base para a discussão na Conversação clínica das XXV Jornadas. Não deixe de pegar os seus!

A comissão de livraria trabalhou para selecionar excelentes títulos para as Jornadas!  Confira em https://loucuraseamores2017.wordpress.com/category/desatino-boletim-das-xxv-jornadas/   algumas novidades e destaques do Bazar, como também os lançamentos que ocorrerão na sexta-feira, às 19h.

Lembramos também que o credenciamento antecipado pode ser feito para os inscritos nas XXV Jornadas Clínicas da EBP-Rio e do ICP-RJ.  Essa é uma forma de evitar filas na abertura. Não deixe para a última hora!                                                                 

Local: Sede da EBP Rio, rua Capistrano de Abreu, 14. 

Para se inscrever nas XXV Jornadas, ligue para a secretaria da EBP Rio (2539-0960) ou do ICP RJ (2286-7993).

Curta a página da EBP Rio no Facebook, confirme a presença no evento das XXV Jornadas e siga nosso Instagram, @loucuraseamores2017.                                                                          

Esperamos por você!

Comissão de Divulgação e Mídia

Anúncios

Desatino! Extra – Ementas dos cursos

Olá pessoal!

Nossas Jornadas se aproximam e alguns esclarecimentos se fazem importantes. O trabalho deste ano será animado, já iniciando na sexta-feira de manhã! Das 9h às 11h, teremos quatro diferentes cursos discutindo casos clínicos que conversam com o tema de cada eixo.

Para quem está inscrito nas Jornadas, é só chegar e escolher na hora qual dos cursos quer assistir. Confiram as ementas:

Eixo 1. Parcerias: O que há?
Curso: Sobre os casos Uma mulher pródiga e Uma Eva negra
Coordenação: Mirta Zbrun e Sarita Gelbert

Utilizando dois casos clínicos, um de neurose e um de psicose, o curso abordará a
relação transferencial e a posição do analista ‘parceiro sintoma’, que possibilitam, no
tratamento, a criação de um ‘novo amor’.
O caso de Oscar Ventura, Uma mulher pródiga, e o caso de Jean-Louis Goult, Uma Eva negra, mostram de forma muito precisa o cálculo nas intervenções do analista que orientam a condução do tratamento. Há ensino teórico e clínico em ambos os casos no que se referem às parcerias em análise e é isso que este curso se propõe a transmitir.

Eixo 2. A transferência: entre o amor e o saber
Curso: Sobre o caso Anna O. e o testemunho de passe de Silvia Salman
Coordenação: Doris Diogo e Stella Jimenez

No caso de Anna O. (Berta Pappenheim), veremos o que foi o começo da psicanálise, a incidência da transferência tanto no inconsciente transferencial como no real, e o embaraço da contratransferência.
Também abordaremos as versões do amor no testemunho de passe de
Silvia Salman: da repetição do amor ao pai, atualizado na transferência, ao
enodamento do amor e da pulsão no sinthoma.

Eixo 3. Sobre o uso diagnóstico: da classificação à singularidade
Curso: Sobre os casos Um caso nem tão raro e Um sujeito no nevoeiro
Coordenação: Maria Inês Lamy e Maria Lídia Arraes Alencar

Em Um caso não tão raro, Jean-Pierre Deffieux defende a importância de se
perceber, em cada sujeito, se há “efeitos clínicos mínimos de algo destoante na amarração RSI”. Sem desprezar a diferença entre neurose e psicose, a ênfase recai agora não tanto na classificação diagnóstica e sim na singularidade das amarrações sintomáticas de cada um. Já o caso de Hervé Castanet, Um sujeito no Nevoeiro, elucida a psicose ordinária por se tratar de alguém que, vivendo dentro da NORMA, sem evidência de desencadeamento, ensina sobre uma posição singular frente ao Outro, habitando um ‘eterno presente’. As sutilezas de uma ‘indecidibilidade’ no falar apontam a questão diagnóstica: ponto-de-basta ou nevoeiro?

Eixo 4. Violência e amor
Curso: Sobre os casos Aimeé e O amor louco de uma mãe
Coordenação: Cristina Duba e Manoel Barros da Motta

Um primeiro ponto a destacar neste binômio de que nos ocuparemos, a violência e o amor, diz respeito a situar o que é violência no campo da psicanálise: podemos situá-la como um conceito único ou será necessário pluralizá-la? É preciso certamente distingui-la da agressividade, que faz forma de parceria imaginária, com o amor. Nos dois casos, Aimeé, de J. Lacan, e O amor louco de uma mãe, de Éric Laurent, o amor atravessa as formas do amor materno, em sua face violenta, desmedida, além da mediação fálica. Essa é outra das dimensões que levaremos em conta para abordar o tema proposto, ou seja, a loucura da violência materna e suas relações com a loucura feminina.

______________________

Aproveitem para se credenciar com antecedência na secretaria da Seção Rio, evitando filas no dia do evento.

Até breve!!!

Comissão de Divulgação e Mídia

Desatino! Extra – Informes da Comissão de Livraria

Olá pessoal,

A comissão de livraria preparou uma super seleção de livros para as Jornadas! Confira o que vem por aí:

Em destaque no Bazar: 

EL MISTERIO DEL CUERPO HABLANTE

Autora: Araceli Fuentes 

Editora: Gedisa Editorial

Anos: 2016

http://www.radiolacan.com/uploads/icon/image_icon_830.jpg

Link da entrevista com Araceli Fuentes sobre seu livro: http://www.radiolacan.com/pt/topic/830/3

Lançamentos, sexta-feira, 10 de novembro, às 19h:

 

LOUCURA E RESPONSABILIDADE: CONSENTIMENTO ÀS FICÇÕES JURÍDICAS

Autor: Fernando Casula

Editora: ARTESÃ EDITORA LTDA

 

A responsabilidade no universo da Loucura é analisada a partir de um relato ficcional, no contexto da internação psiquiátrica decorrente de homicídio. Examina-se, principalmente com Michel Foucault, o produto da inter-relação dos saberes disciplinares (psiquiátrico e jurídico), ou seja, a constituição da ficção da norma universal, que dá origem à exclusão dos doentes mentais do campo da responsabilidade penal. Em contrapartida, a psicanálise de orientação lacaniana, ao aproximar os desígnios do termo “responsabilidade” à sua raiz semântica, “resposta”, define por “responsabilidade” os modos singulares de o sujeito assentir àquilo que está na posição de “causa”: a estrutura da linguagem e, sobretudo, o real. Pois, como aponta o relato ficcional, a norma jurídica ao determinar, de forma genérica, a não punição dos doentes mentais pelos atos, longe de protegê-los, tal como espera o legislador, os expõe, assim como toda a sociedade, aos perigos constantes de um real desregrado (Sinopse).

 

Link da entrevista com Fernando Casula disponível no site da Seção Minas:

http://minascomlacan.com.br/entrevista-com-fernando-casula/

 

PSICOPATOLOGIA LACANIANA, volume 1- Semiologia

Orgs. Antônio Teixeira e Heloisa Caldas

Editora: Autêntica, 2017

“Esta obra não possui equivalente na psicanálise de orientação lacaniana. Sua realização só poderia ser possível no Brasil, país onde se tece uma relação particular entre os movimentos de reforma psiquiátrica e nossa orientação psicanalítica. Este livro dá todo seu lugar ao sujeito como tal no campo da psicopatologia, sem se esquecer das hipóteses que ele pode tomar no caráter e na personalidade.” Éric Laurent.

 

CRIAR E FRUIR DA ARTE

Autora: Maria Lidia Arraes Alencar

Editora Prismas,  2017.

O livro trata da fruição da arte, tanto para quem cria a obra, quanto para quem é tocado por ela. Realizando um percurso pela contribuição da psicanálise a esse respeito, a autora articula os momentos mais significativos da obra de Freud sobre o tema com grande parte dos ensinamentos de Lacan sobre a arte, destacando descobertas preciosas de Freud e de Lacan a respeito do gozo implicado no ato de criar e no ato de fruir da obra como expectador. (Apresentação)

 

O CRIME, À LUZ DA PSICANÁLISE LACANIANA

Autor: Manoel de Barros da Motta

Editora: Forense Universitária – 2017

Depois de ter estudado a punição no Brasil com minha Crítica da razão punitiva (Forense Universitária, 2011), dedico-me agora a elucidar o problema do crime, questão extremamente atual, seja no mundo, seja no Brasil.

Terrorismo, toxicomanias, tendência mais a vigiar e punir, levantar a questão da causalidade do crime. Da responsabilidade do sujeito criminoso não poderia ser mais atual. Principalmente neste momento em que a justiça detém o máximo poder no Brasil. Esta investigação é direcionada a crimes que a interrogação lacaniana das psicoses ajuda a esclarecer do ponto de vista teórico e clínico. Uma tipologia tornou-se possível a partir dos registros do real, simbólico e Imaginário – uma criminologia a partir da orientação lacaniana. Landru, assassino de 11 mulheres guilhotinado na Belle époque, Aimée, que atentou contra a atriz Hugette Duflot, as irmãs Papin, Pierre Rivière, Eppendorfer, Ulrich são interrogados na particularidade de seus casos. Manoel Barros da Motta (Quarta capa)

Desatino! Extra – Boletim das XXV Jornadas

Credenciamento antecipado para os inscritos nas XXV Jornadas Clínicas da EBP-Rio e do ICP-RJ.

 

Não deixe para última hora! Vamos evitar filas na abertura das Jornadas!!

Credenciamento antecipado: 6 a 9 de novembro, de 14:00h às 20:00h.

Local: Sede da EBP Rio: Capistrano de Abreu nº14

 

Atenciosamente,

Roberta D’Assunção

Secretaria de Inscrições

Desatino! Extra – Boletim das XXV Jornadas

Preparatória para as XXV Jornadas Clínicas da EBP Rio e ICP-RJ sobre Loucuras e Amores na Psicanálise

Exibição do filme “Corpo elétrico” seguido de debate com a presença do diretor do filme, Marcelo Caetano.

Convidados: Marcus André Vieira e Paulo Vidal
Responsáveis pela preparatória: Andrea Vilanova e Cristina Frederico.
Apoio: Thereza De Felice.

Sexta feira, dia 3 de novembro às 17:00 no auditório do IPUB – UFRJ (Campus da Praia Vermelha)

Rua Venceslau Braz, 71 (fundos)
Botafogo
Rio de Janeiro – RJ

Desatino! Extra – Boletim das XXV Jornadas

Caros colegas,

Convidamos todos os inscritos nas XXV Jornadas Clínicas da EBP-Rio e do ICP-RJ a pegarem gratuitamente uma cópia da impressão dos quatro casos que discutiremos na Conversação clínica que ocorrerá nas Jornadas. As cópias estarão disponíveis a partir desta sexta-feira, 20 de outubro, na Seção Rio.  

Sugerimos fortemente a todos que façam uma leitura prévia dos casos. No dia da conversação não procederemos à sua leitura integral, mas apenas a uma breve retomada de seus principais pontos destacados pelos autores nos debates preparatórios à conversação.  

Tomamos as indicações de Jacques-Alain Miller como orientação para a conversação: “Se confiamos na cadeia de significantes, vários participam do mesmo. Pelo menos é a ficção da conversação: produzir — não uma enunciação coletiva — senão uma associação livre coletiva, da qual esperamos um certo efeito de saber.”

Nossa aposta é de que essa conversação seja mais uma ocasião para avançarmos na pesquisa clínica que marca o ICP-RJ.

Tatiane Grova – Coordenação de Núcleos do ICP-RJ
Paula Borsoi – Diretora do ICP-RJ

1 MILLER, J.-A et alli. La pareja e el amor: conversaciones clinicas com Jacques Alain-Miller em Barcelona. Buenos Aires: Paidós, 2005.

Desatino! n°4 – Boletim das XXV Jornadas

Olá pessoal,

Nossas XXV Jornadas se aproximam e as comissões trabalham cheias de fôlego preparando o intenso trabalho que se delineia passo a passo.

O Boletim Desatino! #4 traz as recentes colaborações de nossa comunidade nas diferentes categorias:

Na categoria Orientação ponto a ponto, temos os textos “Um sonho de Freud ou uma tese de Lacan?” de Ruth  Helena P. Cohen e o “O Real e o Sentido – Comentário de texto” por Eliana Bentes. A categoria Escavações do ICP foi enriquecida com mais uma contribuição. Thereza De Felice nos oferece “Um comentário sobre a exposição Porque yo escribo”, da artista plástica argentina Mirtha Dermisache. Apresentando o trabalho do analista na cidade, a Categoria Pólis-amores e loucuras está com três novos textos: “Pólis de poli-amores” de Clarisse Boechat, “Que Legado!!” por Fátima Pinheiro e “O amor de transferência em resposta à loucura da norma: uma experiência de psicanálise em extensão” de Andrea Villanova. Na Categoria Todo Mundo Lê contamos com a resenha do texto “Efeito de retorno à psicose ordinária” de Vicente Machado Gaglianone. Boa leitura!

 

Novidades no blog!

Em setembro inauguramos a Categoria Todo Mundo Vê, onde as contribuições apreendidas a partir do que se pode ver são bem-vindas! Filmes, séries, peças teatrais, pinturas e exposições são o ponto de partida para diferentes testemunhos experimentados no encontro com as diversas expressões da arte. Para essa nova categoria recebemos o texto de Maria Corrêa de Oliveira “O desmedido de Camille Claudel”, uma reflexão extraída de dois filmes sobre a escultora.

As playlists estão bombando no Spotify! Em ritmo de loucuras e amores, não deixam ninguém ficar parado. A Comissão de Divulgação e Mídia preparou novas playlists para irmos entrando no ritmo das nossas Jornadas. Tem para todos os gostos! No blog das Jornadas, basta clicar nos links “notas de loucura e amor” e curtir nossas seleções: Para inspirar, Para delirar, Para se acabar e a mais recente Para sambistas e chorões.

Nossa festa está em ritmo de frenéticos preparativos para bombar no encerramento dos trabalhos. O local, o Espaço Reduto, é uma linda casa localizada a 2 minutos a pé do Pró-Saber. Venha amar e enlouquecer com a gente! Acesse o blog https://loucuraseamores2017.wordpress.com/festa/ e tenha todas as informações sobre essa noite que promete ser de total desatino!

Para se inscrever nas XXV Jornadas, ligue para a secretaria da EBP Rio (2539-0960) ou do ICP RJ (2286-7993). Curta a página da EBP Rio no Facebook, confirme a presença no evento das XXV Jornadas e siga nosso Instagram, @loucuraseamores2017. Esperamos você!

Comissão de Divulgação e Mídia