Desatino! Extra – Informes da Comissão de Livraria

Olá pessoal,

A comissão de livraria preparou uma super seleção de livros para as Jornadas! Confira o que vem por aí:

Em destaque no Bazar: 

EL MISTERIO DEL CUERPO HABLANTE

Autora: Araceli Fuentes 

Editora: Gedisa Editorial

Anos: 2016

http://www.radiolacan.com/uploads/icon/image_icon_830.jpg

Link da entrevista com Araceli Fuentes sobre seu livro: http://www.radiolacan.com/pt/topic/830/3

Lançamentos, sexta-feira, 10 de novembro, às 19h:

 

LOUCURA E RESPONSABILIDADE: CONSENTIMENTO ÀS FICÇÕES JURÍDICAS

Autor: Fernando Casula

Editora: ARTESÃ EDITORA LTDA

 

A responsabilidade no universo da Loucura é analisada a partir de um relato ficcional, no contexto da internação psiquiátrica decorrente de homicídio. Examina-se, principalmente com Michel Foucault, o produto da inter-relação dos saberes disciplinares (psiquiátrico e jurídico), ou seja, a constituição da ficção da norma universal, que dá origem à exclusão dos doentes mentais do campo da responsabilidade penal. Em contrapartida, a psicanálise de orientação lacaniana, ao aproximar os desígnios do termo “responsabilidade” à sua raiz semântica, “resposta”, define por “responsabilidade” os modos singulares de o sujeito assentir àquilo que está na posição de “causa”: a estrutura da linguagem e, sobretudo, o real. Pois, como aponta o relato ficcional, a norma jurídica ao determinar, de forma genérica, a não punição dos doentes mentais pelos atos, longe de protegê-los, tal como espera o legislador, os expõe, assim como toda a sociedade, aos perigos constantes de um real desregrado (Sinopse).

 

Link da entrevista com Fernando Casula disponível no site da Seção Minas:

http://minascomlacan.com.br/entrevista-com-fernando-casula/

 

PSICOPATOLOGIA LACANIANA, volume 1- Semiologia

Orgs. Antônio Teixeira e Heloisa Caldas

Editora: Autêntica, 2017

“Esta obra não possui equivalente na psicanálise de orientação lacaniana. Sua realização só poderia ser possível no Brasil, país onde se tece uma relação particular entre os movimentos de reforma psiquiátrica e nossa orientação psicanalítica. Este livro dá todo seu lugar ao sujeito como tal no campo da psicopatologia, sem se esquecer das hipóteses que ele pode tomar no caráter e na personalidade.” Éric Laurent.

 

CRIAR E FRUIR DA ARTE

Autora: Maria Lidia Arraes Alencar

Editora Prismas,  2017.

O livro trata da fruição da arte, tanto para quem cria a obra, quanto para quem é tocado por ela. Realizando um percurso pela contribuição da psicanálise a esse respeito, a autora articula os momentos mais significativos da obra de Freud sobre o tema com grande parte dos ensinamentos de Lacan sobre a arte, destacando descobertas preciosas de Freud e de Lacan a respeito do gozo implicado no ato de criar e no ato de fruir da obra como expectador. (Apresentação)

 

O CRIME, À LUZ DA PSICANÁLISE LACANIANA

Autor: Manoel de Barros da Motta

Editora: Forense Universitária – 2017

Depois de ter estudado a punição no Brasil com minha Crítica da razão punitiva (Forense Universitária, 2011), dedico-me agora a elucidar o problema do crime, questão extremamente atual, seja no mundo, seja no Brasil.

Terrorismo, toxicomanias, tendência mais a vigiar e punir, levantar a questão da causalidade do crime. Da responsabilidade do sujeito criminoso não poderia ser mais atual. Principalmente neste momento em que a justiça detém o máximo poder no Brasil. Esta investigação é direcionada a crimes que a interrogação lacaniana das psicoses ajuda a esclarecer do ponto de vista teórico e clínico. Uma tipologia tornou-se possível a partir dos registros do real, simbólico e Imaginário – uma criminologia a partir da orientação lacaniana. Landru, assassino de 11 mulheres guilhotinado na Belle époque, Aimée, que atentou contra a atriz Hugette Duflot, as irmãs Papin, Pierre Rivière, Eppendorfer, Ulrich são interrogados na particularidade de seus casos. Manoel Barros da Motta (Quarta capa)

Anúncios